Acessibilidade
A+
Aumentar Fontes
A-
Diminuir Fontes

Inverter Cores

Tons de Cinza

Trocar Cursor
INSTITUCIONAL
O MUNICÍPIO
Instalação do Município
Instalação do Município Conforme as exigências e os pressupostos da Lei e, conseqüentemente a necessidade da Instalação do Município de Coronel Domingos Soares-Pr, sendo a Justiça Eleitoral a responsável e encarregada para proceder a referida Instalação, o Doutor José Luiz Dosciatti, Juiz Eleitoral da 32ª Zona Eleitoral da Comarca de Palmas, Estado do Paraná, usando das atribuições legais que lhe cabia, resolveu, através da Portaria 15/96, de 23 de dezembro de 1996,  designar as 16 horas do dia 01 de janeiro de 1997, na Igreja da Comunidade Católica de Coronel Domingos Soares, para a Instalação do Município de Coronel Domingos Soares e, na seqüência, a posse dos candidatos eleitos em 03.10.96 dos Poderes Legislativo e Executivo. Ata de Instalação Solene do Município de Coronel Domingos Soares e da Primeira Posse dos Vereadores da Câmara Municipal de Coronel Domingos SoaresAo primeiro dia do mês de janeiro de um mil novecentos e noventa e sete, às 16:00 horas, na Igreja da Comunidade Católica, sito à rua Principal, s/n, na sede deste Município, realizou-se a solenidade de Instalação do Município de Coronel Domingos Soares e da Posse dos vereadores Eleitos no Pleito de 03 de outubro de 1996, pelo Dr. José Luiz Dosciatti, Mm.Juiz Eleitoral da 32ª Zona Eleitoral da Comarca de Palmas, constando dos seguintes Vereadores: João Maria Alves Taques, José Maria Belles Silveira, Antônio Francisco Correa da Silva, Jayme Lazzaretti, Jová Eugênio Vieira, Mário José Giacomel, Adão Fermino de Matos Nunes, Vanderlei Castanha e Juventino Barbosa Oliveira, ocasião em que se fizeram presentes diversas autoridades, convidados, líderes da comunidade e região, bem como a população de Coronel Domingos Soares. Compôs-se a mesa de honra convidando as autoridades e representantes de diversos segmentos da sociedade local e regional, o Mm. Juiz Eleitoral, Dr. José Luiz Dosciatti, declarou por iniciada a sessão solene de Instalação do Município e de Posse, dos Vereadores, convidando a todos os presentes para cantarem o Hino Nacional. Ato contínuo foi procedida a leitura da Portaria nº 15/96 a qual designa hora, data e local para a Instalação do Município e Posse dos Candidatos Eleitos em 03.10.96, dos Poderes Legislativo e Executivo. Na seqüência, foi declarado, pelo Mm. Juiz, formalmente Instalado o Município de Coronel Domingos Soares, convidando os vereadores eleitos pelo Município ora Instalado, para o pronunciamento do seguinte juramento: Prometo honrar, a Lei Orgânica a ser aprovada e promulgada por essa Legislatura, a Constituição Federal e a Constituição Estadual, cumpri-las, obedecer e respeitar as Leis e prometo honrar e desempenhar com proficiência e lealdade o mandato que me foi outorgado, trabalhando ao lado das autoridades e do povo pelo progresso deste novo município e do bem estar da população”. Feito o juramento, o Dr. José Luiz Dosciatti declarou-os empossados e convidou o Vereador mais idoso, o Sr. João Maria Alves Taques,  para presidir os trabalhos de eleição da Mesa Diretora da Câmara Municipal, ficando dispensados, os Srs. Vereadores da entrega da declaração de bens ao Mm. Juiz Eleitoral, por quanto tal documento já instruiu o pedido de registro das respectivas candidaturas. A seguir nomeou a Secretária “Ad Hoc” Sra. Lucy Salete Bortolini Nazaro para que a mesma prosseguisse os trabalhos de votação, usando a composição da Mesa Diretiva da Câmara Municipal através de eleição por voto secreto, digo, primeiramente para Presidente, seguindo-se a votação para os demais cargos. Ao final da votação foram convidados para compor como escrutinadores os Srs. Adão Fermino de Matos Nunes, Juventino Barbosa Oliveira e Mário José Giacomel. Encerrados os trabalhos de escrutinação, a comissão escrutinadora apontou os seguintes resultados: Presidente: Jayme Lazzaretti; Vice-João Maria Alves Taques; 1º Secretário: Mário José Giacomel; 2º Secretário: Juventino Barbosa Oliveira;  Em seguida, e como nada mais havia de ser cumprido, declarou-se encerrados os trabalhos, determinando o Mm. Juiz Eleitoral que se lavrasse a presente Ata, a qual, lida e achada conforme, vai devidamente assinada. Eu, Rogério Everaldo Schmidt, Secretário “Ad Hoc” a subscrevi.  Ata de Posse do Prefeito e Vice-Prefeito do Município de Coronel Domingos SoaresAo primeiro dia do mês de janeiro de um mil, novecentos e noventa e sete, às 17:00 horas, nesta cidade de Coronel Domingos Soares, no Prédio da Capela Nossa Senhora de Fátima, sito à Rua Principal s/n, onde foi realizada a Sessão Solene da Posse do primeiro Prefeito e Vice-Prefeito e com a presença dos Senhores Vereadores: Juventino Barbosa Oliveira, Mário Giacomel, Adão Nunes, Jayme Lazzaretti, João Maria Alves Taques, Vanderlei Castanha, Jová Eugênio Vieira, Antônio Francisco Ferreira da Silva, José Maria Belles, sob a Presidência do Vereador Jayme Lazzaretti, por ter sido eleito na sessão anterior, sendo convidada, (pela então Secretária nomeada “Ad hoc”, Sra. Lucy Salete Bortolini Nazaro[1]), a Sra. Aurora Torteli para secretariar os trabalhos,  compareceu o Sr. Celcio Luiz Reis, Prefeito Eleito e Legalmente Diplomado para prestar compromisso e tomar Posse como Prefeito do Município de Coronel Domingos Soares. Após as formalidades regimentais fez a afirmação solene de bem servir no cargo ao qual foi investido, prestando em voz alta o seguinte compromisso: “Prometo defender e cumprir a Constituição Federal, a Constituição Estadual e a Lei Orgânica do Município de Coronel Domingos Soares, observar, cumprir e fazer cumprir as Leis, promover o bem geral da População do Município e desempenhar com lealdade, probidade e patriotismo o meu mandato”. Após, o Sr. Presidente convidou o Sr. Valdir Vaz para fazer o juramento que o fez nos mesmos termos do Sr. Prefeito. Em seguida, o Sr. Jayme Lazzaretti, Presidente da Câmara Municipal de Vereadores, declarou legalmente empossado o Prefeito Municipal de Coronel Domingos Soares, o cidadão, Sr. Célcio Luiz Reis, passando, a partir desse momento solene, a existir Legal e juridicialmente este novo Município. Da mesma forma se deu com o Vice-Prefeito, Sr. Valdir Pereira Vaz. Na seqüência, houve o pronunciamento dos Senhores José Ferreira de Almeida, Valdir Pereira Vaz e Célcio Luiz Reis, que se congratularam pela criação do novo Município, fizeram agradecimentos e desejaram augúrios de Feliz administração e um grande futuro para o novo Município. Para constar foi lavrada esta Ata, assinada por todos os presentes.As atas foram transcritas conforme constam nos registros. 
15/09/2016
Criação do Município
Criação do Município              Em 21 de dezembro de 1995, pela Lei Estadual nº 11.265, aprovada pela Assembléia Legislativa do Estado do Paraná e Promulgada nos termos do x 7º, do Artigo 71 da Constituição Estadual, tendo como Presidente o Deputado Aníbal Kuri, e publicada em 28.12.95, foi criado o Município de Coronel Domingos Soares, com território desmembrado do Município de Palmas.             Suas divisas e confrontações ficaram sendo as seguintes: Começa na confluência do rio Iguaçu com o rio Butiá, seguindo pelo rio Butiá até sua cabeceira, daí em reta alcança a cabeceira do rio Rancho Grande, seguindo por ele até encontrar o rio Chopim; do rio Chopim segue até o córrego Manchora ou da Divisa, seguindo por este até sua cabeceira por uma reta, atingindo a cabeceira do lajeado do Veado, desce por este até sua foz no rio São Lourenço, desce por este até sua foz no rio Iratim, divisa intermunicipal com Bituruna, desce pelo rio Iratim, acompanhando os limites intermunicipais com Bituruna até a foz do lajeado da Escada; daí por uma reta alcança a cabeceira do Lajeado do Saltinho ou ribeirão da Canela, desce por este até sua foz no rio Iguaçu, seguindo pelo rio Iguaçu até encontrar o ponto de partida da confluência do rio Butiá.
15/09/2016
Criação do Distrito
Criação do Distrito Administrativo Municipal e do Distrito Judiciário Estadual Em 04 de maio de 1954, no Edifício da Prefeitura Municipal de Palmas foi criado o Quinto Distrito Administrativo de Coronel Domingos Soares, Decretado pela Câmara Municipal e Sancionado pelo então Prefeito Municipal, Senhor Amílcar Saporiti, através da Lei nº 129. Na ocasião escolheu-se como sede o Bairro do Retiro, tendo como circunscrição territorial o seguinte: como ponto de partida, o Passo Novo, no rio Chopim, seguindo pelas estradas de rodagem, que se dirigem às terras de cultura do rio Iratym[1], atravessando o lajeado da Estrela, no Quarteirão República, até atingir o Passo do Engenho Velho, no mesmo rio Iratym, descendo por este rio até a Foz do rio Iguassu[2], pelo qual desce até a embocadura do rio Butiá, subindo por este rio até atingir sua principal cabeceira, seguindo por linha seca, em reta, até a cabeceira do Lajeado Rancho Grande, pelo qual desce até sua foz no rio Chopim; e, finalmente,  sobre este rio até alcançar o Passo Novo, que foi o ponto de partida. A sede foi investida da categoria de Vila, recebendo o mesmo nome dado ao Distrito. Dez anos após, em 1964, criou-se o Distrito Judiciário pela Lei Estadual nº 4930, de 23 de setembro, com a denominação de Coronel Domingos Soares. Sendo que a sede ficou com as seguintes divisas: como ponto de partida, no Município de Palmas, o rio Chopim, seguindo por este até a divisa do Município de Mangueirinha, descendo por este, ainda, até a foz do rio Butiá, no rio Iguaçu, subindo até a foz do rio Iratim, seguindo, ainda, por este até a foz do rio Estrela, subindo até a cabeceira do arroio Butiá que deságua no rio Chopim, ponto de partida, fazendo divisa com os municípios de Clevelândia, Bituruna e Reserva do Iguaçu e Palmas. [1] Optou-se por usar a grafia original descrita na Lei.129, de 04.05.54.[2] Igualmente, optou-se pela grafia original descrita na Lei 129, de 04.05.54.
15/09/2016
O Patrono
O PATRONO Domingos Soares nasceu em 16 de abril de 1852, em Guarapuava-Pr. Filho do Coronel Joaquim Mendes de Souza, (um dos participantes da primeira expedição exploradora dos Campos de Palmas) e de Dona Cezarina Antonia de Jesus. Domingos Soares passou a maior parte de sua infância na Fazenda São Joaquim, no Município de Palmas, para onde veio residir ainda pequeno. Domingos Soares casou-se com D. Maria Lourenço de Araújo. A filha do casal Julia Maciel, nascida em 08 de julho de 1895 casou-se com Antonio de Araújo, desta união advieram dez filhos: Maria Lourenço de Araújo(14/06/1916), Domingos Soares de Araújo(25/12/1917), Manoel Lourenço de Araújo(04/06/1919), Ana Maciel de Araújo(29/05/1921), Nayda Maciel de Araújo(24/01/1923), José Lourenço de Araujo(21/06/1924), Elvira Maciel de Araújo(14/03/1927), Francisco Mirabeau de Araújo(06/01/1932), Aurora Maciel de Araújo(10/04/1934-única viva) e Pedro Antonio de Araújo(25/05/1936).Com o irmão o Sr José Maciel de Souza, que era proprietário de 1400 alqueires na Fazenda Fortaleza, montou em sociedade um engenho de cana para a fabricação de açúcar, pinga e álcool.Foi proprietário de uma área de 750 alqueires na “Cabeceira do Rio Jangada”, na época Distrito de General Carneiro, uma área de 326,5 alqueires na localidade de “Cacumbangue”, hoje Município de Cel Domingos Soares, dois lotes de terras rurais no lugar chamado de “Pepiry-Guassu”, Município de Chapecó-SC, com 834,5 alqueires e foi proprietário também da Fazenda Bom Sucesso, com 1.570 alqueires, distante de Palmas esta propriedade apenas 24 quilômetros hoje território do Município de Cel. Domingos Soares, uma terra composta de matas, madeiras de lei e pinheiros, além de campos e ervais nativos. Manteve em suas posses um rebanho médio de  800 cabeças de gado, caprinos, eqüinos, animais sempre de raça pura e selecionada. Foi um fazendeiro que sempre deu atenção a esta atividade buscando, inclusive, na Argentina técnicas de aprimoramento para a criação. Quando faleceu em 1928 Domingos Soares, segundo consta do processo de inventário da Comarca de Palmas, possuía mais de 3.400 alqueires de terras além de outros bens.Mostrou-se ávido pelo progresso de sua região, estando presente no tratado para uma grande via de comunicação entre Pato Branco (Município de Clevelândia) e Santo Antônio (Barracão), com vistas ao desenvolvimento dessa fértil e rica região.Nas legislaturas de 1914 e 1918 foi Deputado Estadual pelo Paraná e, de 1912 a 1916 e de 1925 a 1928 exerceu o cargo de Prefeito do Município de Palmas. Foi neste último mandato que enfrentou grandes dificuldades, tendo sido injustamente detido no P.G. sob suspeita de conivência com forças revolucionárias opostas à ordem vigente, por determinação do Comandante Militar destacado em Guarapuava, o General Cândido Rondon, que num ato de grandeza voltou atrás, penitenciando-se de forma a restabelecer o conceito de honorabilidade do então Prefeito de Palmas, nos termos do original do telegrama assinado por Rondon: “Guarapuava, 5 de março de 1925. Coronel Severiano, commandante do DestacamentoSeveriano. Recebi última declaração Coronel Domingos Soares, que julgo sincera e portanto acceitável por este commando, ficando em relação a elle inteiramente esclarecido o assumpto que deu lugar a sua detenção no vosso P.G. Em meu nome peço levar-lhe o pesar que tenho de o ter submetido aos rigores de medidas excepcionaes, para averiguações de factos em que o seu nome está envolvido, como elle verificará nos dois telegrammas que vai receber de pesadas. Ao nobre ancião Prefeito da cidade, apresentará a satisfacção que me cumpre dar-lhe pedido de excusas que lhe faço pelos soffrimentos Moraes que experimentou emquanto durou o inquérito em segredo de justiça. Republicano dos mais puros, dos mais nobres do Paraná, estou certo que saberá interpretar devidamente o intuito deste commando, quando o convidou a responder pelo enygma que encerram os telegrammas a elle dirigidos de Iguassu’ por Palmas. Tenho a convicção de ter sido por esse commando tratado com a attenção e respeito que a sua hierarchia social exige e a nobreza que sua idade reclama. Rejubilo-me com a população de Palmas pela restituição do seu venerando prefeito às altas funcções que exerce de Governador da cidade .Aff. Rondon”. Domingos Soares teve participação de relevância na “Revolta do Contestado” guerra da história brasileira que transcorreu de forma mais acentuada entre os anos de 1912/1916, coincidindo com a primeira gestão de Prefeito de Domingos Soares, atingindo seu ápice no entrevero Cel. João Gualberto e o Monge José Maria, no Irani. Como lhe cumpria a missão, recepcionou o então numeroso comboio militar no dia 18/10/1912, ainda na região do Horizonte, próximo a Fazenda São Joaquim, prestando toda espécie de auxílio as tropas e comandantes. Após vários dias de preparativos, mais especificamente em 20 de outubro, Domingos Soares encontrou-se com Cel. Gualberto a fim de dissuadi-lo de atacar as forças do “Monge”, sem sucesso, e se propôs a parlamentar com José Maria a fim de evitar um epílogo sangrento. Em 21 de outubro às 11 horas da manhã Domingos encontrou-se com José Maria levando consigo carta de rendição assinada por Gualberto, o Monge duvidou das garantias oferecidas para a rendição, dizendo-lhe Domingos Soares que também garantia as condições, em virtude de tal afirmação manifestou-se o Monge José Maria: “Sim, - concordou ele – pr’a o senhor eu podia ir, seu coronel; mas isso eu sei não está no senhor; eu lhe conheço, seu coronel, pr’a o senhor eu ia. – Eu tenho 8.000 homens pr’a brigar, seu coronel”.(A República, 18-11-1912) Diante de tais afirmações, a expedição de Domingos Soares tornou-se infrutífera, porém ciente de que fez o que podia de melhor diante dos fatos e da situação que se apresentara. O desfecho da revolta resultou, além de inúmeros mortos e feridos, no falecimento de Coronel João Gualberto e do Monge José Maria. Em 10 de dezembro de 1926 juntamente com familiares e amigos comemorou “Bodas de Ouro” ao lado de sua esposa coroando a passagem de seus 50 anos de enlace matrimonial de muita alegria. Cel. Domingos Soares, faleceu em 13 de março de 1928 com 76 anos de idade, na Fazenda Pitanga em Palmas, onde achava-se em tratamento de saúde, no exercício de seu segundo mandato de Prefeito de Palmas.No Museu Público de Palmas, além de outros objetos, está guardado em redoma de vidro um par de botas pretas as quais foram de propriedade de Domingos Soares.  
15/09/2016
Voltar
Confira as Últimas Notícias
23/06/2022 - Saúde alerta sobre falta de medicamentos
A saúde pública de Coronel Domingos Soares já começa a sentir os impactos do novo isolamento social imposto pelo governo da China devido ao novo surto de casos de Covid-19 no país, e começa a haver desabastecimento de medicamentos de rotina na Farmácia Municipal.             De acordo com a farmacêutica Taciana Bolzan, este é um problema que está acometendo tanto a rede pública de saúde quanto a rede particular, e não se trata da falta de planejamento ou gestão do Município, mas de um problema nacional. “Cerca de 95% dos medicamentos no país dependem de matéria-prima advinda da China, que teve suas exportações afetadas devido ao lockdown para combater a nova onda de casos da Covid. Isso dificulta a chegada de insumos ao nosso país. O aumento de casos gripais ao mesmo tempo em que as infecções pelo coronavírus voltaram a crescer também são apontados como motivos para o desabastecimento dos medicamentos”, explica.             O Departamento Municipal de Saúde ressalta que o Município está começando a vivenciar este problema, e solicita a compreensão dos usuários do SUS, para que tenham consciência e entendimento, e procurem os serviços de saúde somente quando necessários fazendo o uso racional de medicamentos.             “Para ter uma ideia da demora na chegada de medicamentos, nós estamos recebendo agora um pedido que fizemos ainda em março”, comenta a farmacêutica. Os medicamentos são adquiridos por meio do Conims (Consórcio Intermunicipal de Saúde) e Consórcio Paraná Saúde.             Para mais informações basta solicitar ao Departamento de Saúde pelo WhatsApp 3254-1167 ou pessoalmente.
23/06/2022 - Ação Social amplia Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos
O Departamento Municipal de Ação Social reiniciou, neste mês de junho, os encontros do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, ampliando os atendimentos para o interior do município. O SCFV é um serviço da proteção social básica do SUAS (Sistema Único de Assistência Social) que é ofertado de forma complementar ao trabalho social com famílias realizado por meio do Serviço de Proteção e Atendimento Integral às Famílias (PAIF) e do Serviço de Proteção e Atendimento Especializado às Famílias e Indivíduos (PAEFI). É uma forma de intervenção social planejada que cria situações desafiadoras, estimula e orienta os usuários na construção e reconstrução de suas histórias e vivências individuais, coletivas e familiares. De acordo com a diretora do departamento, Angélica Graeff Catapan, o intuito é unir as pessoas das comunidades para passar uma tarde alegre e descontraída com muita conversa, risada e aprendizado, levando um pouco do Departamento de Ação Social e do CRAS para todas as comunidades do interior. “Durante os encontros as participantes aprendem a fazer algum artesanato, e a psicóloga conversa com as crianças e os adolescentes sobre temas voltados a cada faixa etária”, conta a diretora. Conforme o Ministério da Cidadania, o serviço tem como objetivo principal fortalecer as relações familiares e comunitárias, além de promover a integração e a troca de experiências entre os participantes, valorizando o sentido de vida coletiva. O SCFV possui um caráter preventivo, pautado na defesa e afirmação de direitos e no desenvolvimento de capacidades dos usuários. Na sede, o serviço é ofertado no Centro de Referência da Assistência Social (CRAS), e nas comunidades rurais geralmente são realizados nos salões comunitários. Os encontros acontecem quinzenalmente, sempre às 14 horas, atendendo duas vezes por mês cada localidade contemplada, sendo elas, até o momento: Cidade, Bom Retiro, Ponte do Iratim, Chico André, Nova Iguaçu, Terra Boa, Pedregulho, Pedra Branca, Marcon, De Pauli e Vila Rural.
23/06/2022 - Cel. Domingos Soares planeja retomada da economia pós-pandemia
A pandemia do novo coronavírus, que afetou o mundo todo, trouxe graves impactos não só nas áreas social e de saúde, mas especialmente no campo econômico. A suspensão de diversas atividades ocasionou o fechamento de inúmeras empresas no Brasil, refletindo na qualidade de vida de famílias e no desenvolvimento dos municípios, que tiveram suas arrecadações de impostos comprometidas.             Neste momento de retorno gradativo de todos os setores que movimentam a economia mundial, os governos municipais planejam ações para minimizar os reflexos do vírus SARS-Cov-2, responsável pela Covid-19. Em Coronel Domingos Soares, através de um trabalho sério e comprometido, a Prefeitura pretende implementar projetos importantes para a retomada da economia e recuperação dos setores que movimentam a cadeia produtiva e de prestação de serviços no município. Uma das medidas é a realização do projeto Ano Empresarial, em parceria com a Acecel – Associação Comercial e Empresarial de Coronel Domingos Soares, através da oferta de cursos e oficinas de capacitação realizadas por profissionais do Sebrae através da Sala do Empreendedor, gratuitamente.             Desta forma, no último dia 15 foi realizado o primeiro encontro, na Câmara Municipal, com o tema Marketing Estratégico, ministrado por Vitor Hugo Strozzi.             “Tudo o que a gente aprende é bom renovar, são novas experiências, novos aprendizados, tudo faz parte do dia a dia, então a gente convida quem não veio para participar dos próximos”, comenta a presidente da Acecel, Cássia Leal Barbieri.             Para a empreendedora Daysi Kathuza Vieira, o Ano Empresarial é uma oportunidade para ampliar os conhecimentos e melhorar o atendimento ao cliente. “Quero agradecer a oportunidade que a prefeitura e a Acecel estão nos proporcionando. É muito necessário isso nesse momento, onde a tecnologia, a Internet está vindo à tona, e se a gente não se modernizar e buscar conhecimento a gente não acompanha essa modernidade. Convido a todos a participarem; vale muito a pena sair da zona de conforto e vir em busca de novos conhecimentos para atender bem nossos clientes”, avalia.             Segundo o diretor do Departamento Municipal de Indústria e Comércio, Antônio Carlos Kovoliski, a intenção é fortalecer o setor empresarial domingosoarense com formação continuada, com o intuito de capacitar empresários e colaboradores para aperfeiçoarem sempre mais seus conhecimentos e suas técnicas.             Os próximos cursos serão dias 26 e 27 de julho, de Gestão de Vendas e Atendimento ao Clientes, respectivamente. As inscrições podem ser feitas na Acecel ou na Sala do Empreendedor.
23/06/2022 - Departamento de Ação Social realiza a entrega da primeira Carteirinha do Autista de Coronel Domingos Soares
O Departamento Municipal de Ação Social está disponibilizando acesso à Carteirinha do Autista para as pessoas com Transtorno do Espectro Autista. A Carteirinha e o RG com a inclusão do símbolo da fita “quebra cabeças” possibilitam que o cidadão tenha um documento de identificação individualizado, minimizando o risco de vida e facilitando o atendimento em casos de emergências. Também garante as prioridades legais e o exercício de direito destas populações com tantas particularidades.De acordo com o setor, para requerer a Carteirinha do Autista é necessário levar ao CRAS os seguintes documentos: RG e CPF do autista; RG e CPF do responsável; Fotografia 3x4; laudo médico (original, com CID, nome completo do paciente, assinatura e carimbo de identificação com CRM do médico); e exame de tipo sanguíneo (grupo sanguíneo e RH).“Hoje procedemos à entrega da primeira Carteirinha do Autista de Coronel Domingos Soares, para o Christian João dos Santos Silva, e pudemos observar a importância desta para a sua vida, conforme depoimento de sua mãe e professora”, conta a psicopedagoga do CRAS, Cristina Simone Duarte.O Autismo - Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) – é uma condição de saúde caracterizada por déficit na comunicação social (socialização e comunicação verbal e não verbal) e comportamento (interesse restrito ou hiperfoco e movimentos repetitivos). Alguns sintomas como irritabilidade, agitação, autoagressividade, hiperatividade, impulsividade, desatenção, insônia e outros podem ser tratados com medicamentos, que devem ser prescritos por um médico.            “A carteirinha do autista é um documento que vai facilitar a identificação e também vai dar prioridade nos atendimentos dos serviços públicos e privados, principalmente na educação, já que meu filho está terminando o Ensino Médio e ano que vem vai tentar uma vaga em faculdade pública”, comenta a mãe de Christian, Fátima dos Santos Silva.A carteira de identificação da pessoa com Transtorno do Espectro Autista vai facilitar, ao portador, o acesso aos direitos adquiridos através da Lei Berenice Piana – nº 12.764 de 27 de dezembro de 2012, que instituiu a Política Nacional dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista.”“Se você possui todos os documentos acima, basta comparecer no Departamento de Ação Social, no período vespertino, que faremos a solicitação da sua Carteirinha do Autista”, convida a diretora de Ação Social, Angélica Graeff Catapan.
Atendimento
Segunda à Sexta das 8hrs às 12hrs e das 13:30hrs às 18hrs
Coronel Domingos Soares - PR
Rua Avenida Araucaria Centro - 85557-000
(46)3254-1166
assescom.pmcds@gmail.com
Atualizado Segunda-feira, 27 de Junho de 2022 às 09:59:33